Amar não é sobre ganhar ou perder

quinta-feira, 17 de agosto de 2017


Ele foi embora

Assim
Arrumou as malas e foi
Separou as camisas, as calças e guardou
Arrumou tudo, exceto o coração dela, que deixou bagunçado e em frangalhos
Definitivamente partido

Ela entrou no quarto, comprou e redecorou
Se livrou dos cheiros, cores e flores que estavam lá
Ligou o som com músicas desconhecidas no último volume e dançou
Dançou até suar, até as pernas doerem
Como se já não se importasse mais

Então o momento passou

Ela se deitou em sua cama nova
Com os lençóis novos
Mas surgiu outra novidade, algo que ela não havia comprado
O vazio

A ficha caiu
- Ele se foi - ela sussurrou para si mesma
Colocou os fones e todas as músicas dos dois começaram a tocar e ela chorou
E lembrou
E se lamentou por todos os erros

E se lamentou pelo orgulho que não levava a nada

Se arrependeu de não ter atendido aquela ligação

De ter ignorado as mensagens
De não ter tido paciência suficiente
E depois se arrependeu de ter pressionado
De ter feito jogos de amor, esperando que ele se cansasse e ela fosse a vitoriosa
Se arrependeu de ter sido orgulhosa e mimada

Ela percebeu que há coisas que superam alguns princípios tortos
O amor é uma delas
- Sinto sua falta. - ela enviou
- Eu também. Achei que nunca mais veria uma mensagem sua.

Ambos sorriram

Ela finalmente entendeu
Entendeu que o amor não é um jogo
Não é sobre ganhar ou perder
É sobre compartilhar, empatar.

Daí ele voltou.
Eles usaram o quarto novo
Como novas pessoas

Renovados.

GRAZIELLE VIEIRA | BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM |
Sou mineira que vive no Rio, escreve em vários blogs lindos, ama Friends e Taylor Swift e, apesar de ser advogada, se encontra mesmo é na escrita. Ama café, pôr do sol no inverno, gatos e odeia pagar boletos.

+ LEIA MAIS ►

Quem mudou não foi o amor, foi a gente

quarta-feira, 16 de agosto de 2017


Um amor sempre começa com um porquê. O porquê de estar perto, de fazer planos, de amar mais do que consegue imaginar. O porquê de querer cuidar e se preocupar em não magoar. O amor é meio contraditório, às vezes confundimos os sentimentos e erramos. Tem gente que confunde querer com amar, sabe? E não, não é a mesma coisa. Só basta querer para amar, mas não basta amar para querer. É confuso, eu sei, mas qual amor não é?

Existem amores que por mais fortes e intensos que sejam, simplesmente não acontecem naquele momento. Ou nunca acontecem. Querendo ou não. Amando ou não.

E não é por falta de amor e nem de querer, só não era pra ser.

Hoje eu acordei cedo, é um domingo chuvoso que eu quero passar assistindo filmes. Faz muito tempo que não faço mais isso, era meu programa favorito antes de você aparecer, fazer parte desses momentos comigo, e eu não conseguir mais por sentir sua falta. Só que quando acordei, havia uma mensagem sua no meu celular. Faz tempo que não conversamos, e eu sinceramente achei que já nem lembrava mais de mim.

“É domingo e está chovendo, imagino que deve estar se preparando para um dia cheio de filmes. Sinto falta disso. Sinto falta de você. Parece que nada faz muito sentido desde que te deixei. Eu que errei, eu sei. Mas acho que jamais imaginaria a falta que você faria quando eu fui embora. O que mudou no nosso amor? O que mudou para que ele tenha desistido de tudo assim? Achei que ele era forte e suportaria segurar o mundo enquanto nós tentávamos ajeitar tudo. Mas parece que a bagunça só aumenta... não queria que às coisas tivessem mudado. Pode não parecer, mas eu te amo demais e não queria ter te deixado.”

Quando li sua mensagem, eu sorri. Sorri porque acho engraçado que o mundo sempre dá voltas certeiras. Ele esperou que eu conseguisse curar as feridas que você deixou no meu coração, para só depois disso, fazer você vir até mim mostrando que quem perdeu não foi eu, foi você. Eu era demais pra você. E eu respondi. Respondi porque não ia deixar você no escuro, sem respostas, sem saber se deveria seguir ou continuar tentando.

- É, algumas coisas nunca mudam. Outras, como nós, infelizmente precisam mudar. É a primeira vez que vou fazer isso desde que terminamos, porque quando você me deixou, parecia não fazer muito sentido continuar sozinha. Os hábitos de um domingo, ou a vida, sabe? Também senti muito a sua falta, mas aprendi a viver com ela até que desaparecesse. E desapareceu. Eu fiquei, por muito tempo, esperando você mudar. E enquanto esperava, eu quem mudei. Acordei. Parei de achar que uma hora tudo teria um conserto. Nem tudo pode ser consertado, colado, emendado. A gente precisa desapegar de algumas coisas quando elas quebram, sabe? Para que coisas melhores apareçam. Algumas histórias não podem ter um recomeço. Não fique achando que o amor não suportou o peso de um relacionamento que já havia acabado e se desgastado há muito tempo. Ele tentou e lutou até o fim. Eu lutei até o fim junto a ele, enquanto você foi viver e esqueceu de lutar. Ele não sobreviveria tendo que suportar o peso de um lado só. Então, segue em frente. Porque quem mudou não foi o amor, foi a gente.


STEPHANIE ALMEIDA | BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER |
20 primaveras nem sempre tão floridas assim. Baiana do interior e libriana que nunca é indecisa. Escreve em mais blogs do que consegue contar nos dedos. Viciada em café, John Mayer, super-heróis, séries, livros, dias frios e chuvosos, pipoca, jujuba, chocolate e amores que arrepiem a alma. Passa a maior parte do tempo lendo por amar imaginar um mundo novo e uma nova história a cada livro. E escreve com o coração - que é feito um furacão.

+ LEIA MAIS ►

Quero ser sua canção favorita...

terça-feira, 15 de agosto de 2017



Te sigo no Spotify e fico acompanhando as músicas que você ouve. Todos os dias você escuta uma playlist que se chama "Trilha Sonora da Minha Vida" - e foi você quem a montou. Um dia, decidi ouvir e sentir o que essa playlist, que tem tanto significado para você, tem de tão especial. E que playlist inspiradora! Encontrei Ed Sheeran, Nando Reis, Bruno Mars, Taylor Swift, Selena Gomez e - minha banda preferida nesse mundo todinho - Coldplay. Inspira tanto que é baseada nela que estou escrevendo esse texto.

Não sei para você, mas a música tem grande importância na minha vida e, pelo que reparei, na sua também. Me movo a ela e me inspiro em canções para trabalhar. Ouço músicas até tomando banho - penso que banho com trilha sonora se torna mais relaxante. Enfrento o trânsito ouvindo minhas músicas prediletas. Com música tudo se torna mais simples, mais fácil. E assim como você repete todos os dias essa playlist, fico pensando como deve ser bom ser sua canção favorita.

Aquela canção que você toca todos os dias no violão. Aquela canção que você ouve ao acordar. Aquela canção que te faz lembrar um momento especial de tão incrível que ele foi. Aquela canção que te faz sonhar. Aquela que você não se cansa de ouvir. Que te inspira. Que quando tudo está difícil, você a ouve e fica tudo bem. A que você mais gosta no CD e para tudo para ouvir quando toca na rádio. Aquela canção que quando escutam, lembram automaticamente de você. Aquela que seu vizinho até já decorou de tanto que você escuta.

Ouvindo sua playlist me encontro dia após dia mais próxima de você, mais pertinho do seu coração. Continue a adicionar músicas lá. Conforme você as adiciona, um pouco de mim se renova. Um pouco de mim, se torna um pouco de você. Espero, um dia, me tornar sua canção favorita - para estar sempre nas suas lembranças, no seu coração, nos seus favoritos e nos seus lábios.

GIOVANNA SABRINE | BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER |
22 invernos quentes feito verão. Sou fã do calor e do calor humano. Acredito que o amor quem pode mudar o mundo e é a nossa maior fonte de esperança. Leonina com ascendente em aries, falo mais que minha boca, escrevo mais que meus dedos. Viajo nas histórias que escrevo e nas que eu leio. Paulista de nascimento e mineira de coração. Ah e apaixonada em dar conselhos e sonha em um dia segui-los… Escrever é traduzir cada batida do coração. Prazer, sou tradutora de corações. Vamos conversar? gigisabrine@gmail.com ou no meu site giovannasabrine.com.br

+ LEIA MAIS ►

Tem mais do que te mostro

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Tenho algumas manias estranhas que você não entende, eu sei. Mas não é por mal. Eu me ausento sem perceber e te deixo entender que não quero estar presente, só que não é bem assim. Às vezes eu não consigo assumir o controle da minha própria vida, acredita? Parece que o meu corpo inteiro desobedece minhas ordens. Talvez você não queira saber, mas, eu só posso te dizer uma coisa: eu apanhei muito. Encontrei pessoas ao longo do tempo que me fizeram desconfiar de tudo. Eu criei um escudo que não permite me deixar levar tão facilmente. É um escudo forte, porque eu precisei ser muito forte para conseguir me recuperar dos tropeços que levei.

Tem mais do que te mostro.

Tem mais de mim que você não conhece, que você não vê, porque eu prefiro esconder por medo de você correr quando perceber. É automático. Você está aqui agora e diz querer ficar, mas não pode me garantir que amanhã, ao acordar, continuará ao meu lado. Você mudou muito com o tempo. E eu precisei ir guardando algumas coisas por conta dessa incerteza que levo comigo.

E eu não te culpo.

Ninguém tem que viver no escuro por medo de se apaixonar a ponto de correr riscos. Correr riscos faz com que a gente aprenda, não é? E eu aprendo um pouco mais com você todos os dias – sobre você também. E é por aprender tanto que eu não consigo mostrar tudo o que tenho – e prefiro guardar para mim. Meu coração me diz que é melhor assim. Ele nunca errou nos sinais que me deu, e quando não dei ouvidos, ele acabou se machucando por erro meu.

Todas as surras que a vida me deu me fizeram ficar assim. Mas olha, não se afasta de mim. Sei que às vezes cê perde a paciência comigo, eu mereço, confesso, mas ainda sou eu e ainda estou aqui para ti. Não sei o que houve para você ficar assim, só que eu não vou conseguir tirar o que tem aqui dentro enquanto não sentir segurança vinda de você. Enquanto não confiar. Enquanto não acreditar que você veio para ficar. É difícil conseguir confiar se você não mostra – eu não vou cometer os mesmos erros.

Se a sua intenção não é ficar, pode ir embora antes que eu precise partir por conta própria. Eu prefiro. Você quis entrar no meu mundo e não consegue aceitá-lo do jeito que ele é. Tem mais do que te mostro, mas você só irá descobrir quando mostrar que veio pra ficar. Eu cansei de apanhar.

STEPHANIE ALMEIDA | BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER |
20 primaveras nem sempre tão floridas assim. Baiana do interior e libriana que nunca é indecisa. Escreve em mais blogs do que consegue contar nos dedos. Viciada em café, John Mayer, super-heróis, séries, livros, dias frios e chuvosos, pipoca, jujuba, chocolate e amores que arrepiem a alma. Passa a maior parte do tempo lendo por amar imaginar um mundo novo e uma nova história a cada livro. E escreve com o coração - que é feito um furacão.

+ LEIA MAIS ►

DIÁRIO DA STEPH, PÁGINA 1: Eu não dava nada por ele

domingo, 13 de agosto de 2017


CAPÍTULO 1
Algumas pessoas chegam, deixam sua
marca e vão embora (e tá tudo bem). 

Aparência. Essa é a palavra que eu encontrei para justificar minha falsa conclusão. As aparências me enganaram – eu disse. Eu já estava tão acostumada com quem conheci esses últimos meses, que não me ocorreu que apareceria alguém diferente. Alguém que eu fosse me interessar de fato. Alguém que não fosse somente mais um rosto bonitinho que me chamou a atenção. Alguém que ficaria infelizmente, por pouco tempo.

Só que eu não dei nada por ele (e ele me surpreendeu).

Em um dia importante pra mim, um dia em que eu estava bem nervosa, três simples horas foram capazes de me fazer fechar os olhos no fim da noite e sussurrar "valeu a pena". Tudo aconteceu de forma completamente diferente do comum. Completamente diferente do que eu achei que fosse. A pessoa travada e 'certinha' demais que ele demonstrou ser durante os meses (sim, meses, haja paciência!) foi substituída por alguém que tinha medo demais de mostrar quem era – talvez tenha mostrado para pessoas erradas ao longo da vida, tudo bem, compreensível - mas que tudo bem! 'Uma hora isso passa' - eu pensei – tudo bem esperar.

Quando entrei naquele ônibus e parti para aquela viagem, achei que o ponto mais alto dela seria outro, não ele.

Percebi que tomar frente das situações não é seu forte (o signo dele, talvez, possa ajudar nisso, né?!?), mas eu não fui a única que precisou viajar. Percebi que ele preferia ouvir por medo do que pensariam quando falasse. Medo do que alguém poderia pensar – ou as conclusões que tomaria – quando conhecesse um lado dele que só ele sabe que existe. Porque ele sabia que isso afastaria as pessoas dele. Isso não funciona para pessoas observadorasuma pena ele não observar isso.

Eu não dava nada por ele, e adivinha? Me enganei. As aparências me enganaram, outra vez.

Às vezes acontece mesmo. A gente fica querendo tanto que aconteça de novo que nem nota direito o que está acontecendo na nossa frente. Ele era tudo o que eu disse, sim, era. Mas sabe quando "tem muito mais por trás" e a gente fica tentando (de todo jeito) encontrar e derrubar essas muralhas que atrapalham nossa visão? Então, nem sempre o que há por trás dela é agradável. Nem sempre a gente quer ver e, quando isso acontece, a gente só pede para que tudo seja mentira e reclama (muito!) de ter chegado até ali e descoberto que, às vezes, é melhor não deixar as muralhas caírem. Eu não gostei do que havia por trás. Preferia ter continuado com meus quatro pontos positivos por mais tempo.

E, mais uma vez, as aparências me enganaram! Talvez seja por isso que eu não gosto muito delas.


PÁGINA ORIGINAL DO DIÁRIO: 16 DE JANEIRO DE 2017
Leia também: Ele deixou ela querendo mais
Leia também: Por trás das sete portas havia bem mais



STEPHANIE ALMEIDA | BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER |
20 primaveras nem sempre tão floridas assim. Baiana do interior e libriana que nunca é indecisa. Escreve em mais blogs do que consegue contar nos dedos. Viciada em café, John Mayer, super-heróis, séries, livros, dias frios e chuvosos, pipoca, jujuba, chocolate e amores que arrepiem a alma. Passa a maior parte do tempo lendo por amar imaginar um mundo novo e uma nova história a cada livro. E escreve com o coração - que é feito um furacão.

+ LEIA MAIS ►

Cuide do seu coração, menina

Eu sei que doeu – e ainda dói às vezes. Mas ele preferiu sair pela porta que você abriu na esperança de ouvir um “eu jamais vou te deixar”. Ele te deixou, menina. Ele não foi capaz de suportar todo o amor que você tem no coração. Era demais para ele. Você merece mais. Ele não soube cuidar do que tinha, foi mais fácil partir do que assumir a responsabilidade de existir um coração que pulsava na mesma intensidade que o dele.

Não foi por falta de afeto – você é incrível, ele gostava de você. Mas gostar não é amar, e ele era covarde. Fugiu por medo de amar tanto uma menina como você. Ele preferiu ter medo no coração, enquanto você continua apenas amor.

Seu coração tem amor de sobra, não precisa de esmolas para ser completo. Já transborda sozinho.

E não foi por mal. Muitas pessoas têm medo de amar por inteiro. Elas imaginam o amor como um oceano gigante prestes a afoga-las. Para sempre. E elas tem medo de tudo que não é efêmero.

Você não.

Você enxerga o que quer e sabe que, a partir dali se entregará por completo. Não sente medo de correr riscos. Tem em mente, sempre, que se acabar se machucando, irá se recuperar. Por isso dói agora – e outras vezes. Porque você é tão intensa na dor quanto é no amor. Sente tudo de uma vez. Sente o tempo que for necessário até passar. E, logo após, se liberta e continua enxergando o que quer e se entregando. Porque você é assim, menina. Feita de amor da cabeça aos pés.

Ele se foi e, acredite, foi melhor assim. Levou consigo todo amor raso que tinha a te oferecer porque percebeu o quão profunda você é. Ele se foi e deixou de ocupar um espaço que não estava destinado a ele. Jamais poderia estar.

Agora cê tem um cantinho vazio, pronto para receber as melhores pessoas e sentimentos. As sementinhas do amor e da alegria já estão lá, e suas lágrimas deram vida a todas elas. Pouco a pouco elas vão crescendo, se desenvolvendo e se tornando tudo aquilo que você merece ter em sua vida. O amor que transborda. A alegria que faz renascer. A felicidade plena.

Então, menina, espera o tempo passar. Aos poucos mesmo, a gente tem que pagar um preço por algumas escolhas mesmo quando elas não foram feitas por nós. Então, cuide do seu coração, menina. Ele é valioso demais (você é demais) e merece muito mais do que um amor meia-boca.


Texto em dupla com a Bruna Frotté do blog Palavras e Clichês.

STEPHANIE ALMEIDA | BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER |
20 primaveras nem sempre tão floridas assim. Baiana do interior e libriana que nunca é indecisa. Escreve em mais blogs do que consegue contar nos dedos. Viciada em café, John Mayer, super-heróis, séries, livros, dias frios e chuvosos, pipoca, jujuba, chocolate e amores que arrepiem a alma. Passa a maior parte do tempo lendo por amar imaginar um mundo novo e uma nova história a cada livro. E escreve com o coração - que é feito um furacão.

+ LEIA MAIS ►

Carta para aquela amizade que se encontra distante

quinta-feira, 10 de agosto de 2017


Queria começar dizendo que tenho ingressos para aquele show de rock que estávamos loucas para ir, mas o nó na garganta e as mãos tremulas jamais iriam me deixar mentir. Te conheci na faculdade, a conexão foi devagar, eu era amiga de uma amiga que acabou por nos apresentar.

Dias passaram e foi necessário só uma cerveja para de cara nos identificarmos, foi uma coisa de alma, inexplicável eu diria, compartilhamos medos, segredos e até sonhos para o futuro, eu ria da sua maluques, mas me sentia completamente em casa com todos os seus sonhos de guria.

Não demorou muito para dividirmos a barra em assuntos realmente sérios, e de vez a nossa amizade foi solidificada, ganhei uma irmã a qual eu nem sabia que um dia iria ter. Foram momentos bons, médios e regulares, era para um programa água com açúcar e algumas vezes memoráveis noitadas de cumplicidade.

E de repente tudo foi mudando, e me perdi em como tudo se desfez. Desejei te contar sobre o novo carinha do curso de espanhol, mas você tinha cada vez mais pressa e para mim já não tinha vez. O tempo passou, passou e da sua mão eu soltei, o que era alegre ficou triste e de tantos desencontros o pouco que restava se perdeu entre as lembranças do que fomos com uma mistura do que nunca iriamos ser.

Não sei como está a sua vida, se ainda te dói a cabeça se forçar muito as vistas, se você se lembra de tomar os remédios nas horas certas, se você está dormindo bem, ou se como eu ainda perde o sono toda madrugada lá pela volta das três. Talvez seja o meu anjo me lembrando que por ti tenho que interceder, e mesmo com sono eu levantava, e de joelhos dobrados por ti eu orava sem sessar, pedia a Deus e aos céus para de ti cuidar, mesmo que não fossemos mais tão próximas quanto um dia prometemos estar.

Te vejo construindo sonhos, e os tijolos agora são reais, caralho, a casa com a cerquinha branca ganhou das noitadas sem fim, você não sabe o quanto eu estou orgulhosa por saber que finalmente você cedeu ao sim. Queria estar programando a sua festa de despedida dessa vida nada produtiva de nós meros solteiros convictos, e te dizer o quanto estou orgulhosa de ver o quanto você amadureceu.

Muitas vezes comecei a te escrever, mas nunca te enviei, palavras desencontradas e nós em cada canto da galáxia continuamos seguindo o baile como se nada estivesse faltando. Mas estava e o buraco já se encontrava tão enorme que eu não sabia mais como consertar. Então dessa vez o remetente ao destinatário se fara notar, se vira aí e arranje tempo pra nossa vida organizar, prometemos que seríamos amigas e que nada no mundo iria a isso desfazer.

O que foi vivido já não tem mais volta, e algumas palavras sempre irão nos lembrar dos tempos de ausência e o quanto ficou tudo fora do lugar, mas aqui sempre teve espaço pra você e eu quero deixar bem claro que estou cansada de esperar você voltar, hoje te puxo pelos braços e te dou as boas-vindas ao nosso recomeço. 

O que remediado foi remediado está, você é minha melhor amiga, a minha alma parecida e estou pronta para novas histórias juntas podermos compartilhar.E independente de futuras brigas eu sei que é com você que eu sempre irei poder contar.

PS: Não importa quantas vezes eu te mando embora, tudo isso é para chamar sua atenção e você definitivamente se tocar, que o acaso nos apresentou, mas foi a nossa amizade que selou nossos destinos e que para sempre ao lado uma da outra é onde devemos ficar. Obrigada por ser minha escolha nem sempre tão perfeita, mas a que sempre esteve disposta ao meu lado trilhar, te prometo que na velhice disso tudo ainda iremos gargalhar, pra hoje uma boa dose de reencontro e que novas linhas juntas possamos novamente começar a escrevinhar. Te busco as seis, fique pronta e use aquele moletom que eu te dei. Vamos nessa, porque é mais um ano de amizade que juntas temos o privilégio de passar. 

REGIANE VIEIRA | BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER |
Uma escorpiana formada em direito, apaixonada pela vida, pelas palavras, por música e pessoas legais. Ela acredita que a vida é um sopro, por isso escolheu sobreviver jogada na adrenalina de uma rotina nada organizada, e anda por aí de mãos dadas com a liberdade.

+ LEIA MAIS ►

Você se basta

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Nunca se tratou dele, sempre foi sobre você. Sobre o que você quer, o que você gosta, o que te deixa feliz ou confortável no meio de tudo isso. Sobre como você se sente sabendo que está se relacionando com alguém. Sabe qual é o maior erro de algumas pessoas? Se preocuparem tanto em fazer o outro feliz sem lembrar de ser feliz também.

Você foi a única que nunca percebeu que não se tratava dele. Não se trata se ele quer ou não sair com seus amigos esse final de semana e conhece-los melhor, passar um tempo com eles, porque se um dos envolvidos não está disposto a participar da vida do outro, não faz sentido algum existir uma relação. Não se trata se ele quer ou não que você use saia curta, porque o corpo é seu e a sua roupa não diz quem você é e nem descreve sua personalidade, é você quem está usando (e deve usar o que quiser!). Não se trata se ele quer ou não que você saia com suas amigas para a balada, já que ele faz isso todo final de semana com os amigos dele, não é?

Você não tem que seguir as ordens e preferências dele. Não tem que aceitar tudo o que ele impõe. Você é você com ou sem ele – e nesse caso, melhor sem ele – e quem dita suas regras é você.

O mundo não vai acabar porque resolveu deixa-lo. O mundo é imenso e você é maior que ele, menina. Você é muito mais do que imagina. Você tem que correr sem rumo e livre para poder conquistar o mundo e se conhecer melhor – afinal, são as experiências que te fazem alguém melhor.

Sempre foi sobre você. Você não precisa estar numa relação onde não é respeitada. Você é dona de si, não existe isso de alguém querer mandar em ti. Você precisa ter alguém ao seu lado que transborde amor em você, e não que te diga o que e como deve viver. Você é a única responsável por você, e se ele não quer entender, não é bom o suficiente para você.

Você já encontrou o seu mundo, e sabe disso.

Esteja com alguém que entenda que pessoas chegam para somar, e não para subtrair. Para dividir o que é, o que sabe, o que viveu, no que acredita e do que gosta, com você. Para multiplicar os números de sorrisos que você dará. Para te fazer enxergar que a vida sozinha é muito boa, mas pode ser melhor quando é dividida com alguém que se importa. Mas o mundo é gigante, menina. E nele, você vai encontrar muita gente, mas sempre será sobre você.

Quanto tempo você demorou para se tocar de que ele não é o seu mundo? O seu mundo é você! E você não precisa de outro alguém pra fazer ele girar. Você se basta! Não sinta medo de deixar ir embora alguém que não aceita que, para ficar, precisa entender que você é muito grande para viver em uma bolha de onde só pode sair quando ele deixar. Uma hora aparece alguém que siga o caminho da liberdade ao seu lado, mas, enquanto isso não acontece, não esquece: você se basta.

STEPHANIE ALMEIDA | BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER |
20 primaveras nem sempre tão floridas assim. Baiana do interior e libriana que nunca é indecisa. Escreve em mais blogs do que consegue contar nos dedos. Viciada em café, John Mayer, super-heróis, séries, livros, dias frios e chuvosos, pipoca, jujuba, chocolate e amores que arrepiem a alma. Passa a maior parte do tempo lendo por amar imaginar um mundo novo e uma nova história a cada livro. E escreve com o coração - que é feito um furacão.

+ LEIA MAIS ►